quinta-feira, 5 de maio de 2011

I'll hold you in my heart - Cap. Eight

A nossa história vem de perdas e glórias.

Depois de algum tempo "fazendo" crochê, o Justin desce com o cabelo todo bagunçado e só de shorts.
- Meu neto, é assim que você fica em frente de uma garota?
- Desculpa vovó, é que eu acabei de acordar e a Juliet já esta acostumada.
- Eu sei que ela é a sua namorada mas...
- Espera ai, eu e o Justin não namoramos. - Disse assustada ao ouvir a palavra "namora". 
- Por mais que eu queira, mas nós não somos namorados. - Disse o Justin brincando, e eu ri junto com ele.
- Ah, desculpa... - Disse Diane.
- Não, imagina... Esta tudo bem. Vamos continuar? - Disse olhando pro croche dela, quase perfeito, quase terminado.
- Ah sim, vamos. - Disse ela animada com o meu interesse.
- Juliet, depois do almoço quero te levar em um lugar que eu te falei ontem. - Disse o Justin. - Vou tomar banho. - Ele deu um beijo no meu rosto e se foi.
Depois de fazermos o croche, fui ajudar Pattie e Diane no almoço. Almoçamos e fui me arrumar para ir ao tal lugar que o Justin queria me levar. Coloquei essa roupa, eu e o Justin entramos no carro e fomos pro tal lugar.
Chegando lá, era uma praça, uma praça normal, não a mesma praça que eu me encontrei com o Zac. Desci do carro, observei cada detalhe daquela praça, era linda, cheia de crianças correndo, atras de mim chega o Justin e diz no meu ouvido:
- Eu era assim uma vez, eu corria pra lá e pra cá, minha mãe ficava que nem louca me procurando. - Disse ele rindo e olhando para as crianças.
Olhei pro seu olhos que brilhavam, sorri e coloquei minha cabeça em seu ombro.
- Agora, você é um pop star, lindo, fofo e carismático e além de tudo, é o meu melhor amigo.
- É... - Disse ele com um sorriso enorme e lindo no seu rosto, me contagiava que eu chegava até sorrir junto. - Vem, vamos sentar. - Disse ele pegando na minha mão.
Sentamos em um banco e ele ficou contando as suas historias de quando era criança e o que aprontava, eu ria que nem louca. Passou-se horas e nós estávamos lá ainda, ele me mostrava o que fazia lá naquela praça e como brincava. Depois de mais algum tempo, o seu celular tocou e ele atendeu:
- Alo. - Pausa. - Eai Chris, quanto tempo. - Pausa. - É, na verdade estou naquela praça que nós sempre iamos, lembra? - Pausa. - É, bons tempos. - Pausa. - Não, estou com um amiga. - Pausa. - Para cara, é serio. - Pausa. - Beleza, se vemos então, abraço.
Ele desligou o celular e logo olhou pra mim e disse:
- Juliet, eu queria te dizer uma coisa. - Disse pegando nas minhas mãos.
- Fala Justin.
Quando o Justin ia falar, um tal de Chaz apareceu para estragar tudo, mas vou falar a verdade, esse tal de Chaz é lindo e fofo.
- Justin brow, quanto tempo cara. - Disse o Chaz vindo em nossa direção.
- Eai Chaz. - Disse o Justin se levantado.
- Eu interferi algo? - Disse Chaz olhando pra mim. 
- Não cara, essa é a Juliet.
- Ata, a famosa Juliet. O Justin sempre me liga e vive falando de você.
- É, ele também já falou de você. - Eu ri, pois o Justin tinha ficado vermelho.
- Você vai na casa do Chris?
- É, eu vou... - Disse Justin. - O que vai haver lá?
- Ih cara, nem sei. Mas nós se vemos lá, falo.
- Tchau. 
Chaz saiu e o Justin disse:
- Vamos pra casa então, nós arrumar pra ir na casa do Chris.
- Mas, eu não vou.
- Ué, por que ?
- Eu nem conheço esse garoto.
- Edai, eu falei de você pra ele e ele te chamou. Vamos.
Fomos pra casa, tomei um banho e coloquei essa roupa, fomos na casa do tal Chris.
Chegando lá, Justin tocou a campainha e abriu a porta um garoto meio baixo, loiro e muito fofo e disse:
- Eai Justin, entra. Você deve ser a Juliet, eu sou o Christian, prazer.
- Prazer. - Disse apertando a sua mão.
- O Justin tem razão, você é linda.
- Obrigada. - Disse vermelha.
Entramos na casa e estava rolando uma festa, com muitas pessoas desconhecidas pela a minha pessoa, Justin já conhecia todos e saiu comprimentando e logo veio com uma menina e disse:
- Juliet, essa é a Caitlin.
- Oi Caitlin.
- Olá Juliet.
Fiquei conversando com a Caitlin, logo depois ela saiu e veio o Chris.
- Gostou da minha irmã?
- Ela é a sua irmã? - Disse indignada.
- É.
- Ah, eu adorei ela, muito querida.
- E de mim?
- Você é um fofo.
- Obrigado. - Disse ele em coro.
- Fico com vergonha? - Disse rindo do jeitinho dele.
- É, mais ou menos.
- Mais pra menos, ou menos pra mais?
- WTF? - Disse ele rindo, eu ri junto. 
Ficamos conversando, até que ele me chamou pra ir em outro lugar, aceitei, acho que não ia ser nada de mais. Fomos até o outro lado da casa, onde tinha um banco, eu sentei e ficamos conversando mais ainda. Logo depois percebi que o Justin estava vindo em nossa direção, mas como tinha muitas pessoas, acho que ele não ia vim falar comigo ou com o Chris. 
- Juliet?
- Oi Chris?
- Esta pensativa. Algum problema?
- Não, não.
- Você tem namorado?
- Não.
- Então, você não se importar se eu fizer isso?
- Isso o que?
- Isso. - Disse ele colocando a mão na minha nuca e me puxando pra perto dele.
Sim, ele me beijou, perfeito, doce e delicado. Correspondi, apesar de tudo, era apenas um beijo. Quando nós terminamos de nos beijar, eu vejo o Justin saindo correndo e esbarrando em todo mundo.
- Chris, já volto.
Sai correndo atras do Justin e me esbarrando no meio das pessoas também, a casa dos avós do Justin não era tão longe e ele tinha ido pra casa. Chegando lá, ele foi atras da casa, e sentou em um balanço que tinha lá, ele não tinha me visto, ouvi alguns suspiros, parecia que ele estava chorando, parecia não... Ele estava.
- Justin? - Disse ao sentar no outro balanço.
- Ah, oi Juliet.
- Algum problema, por que está chorando?
- Não estou chorando, estou com gripe. 
- Certeza?
- É claro Juliet. - Seco, grosso. O que estava havendo com o garoto mais meigo do mundo? - Por que veio pra cá?
- Estou com sono, vim dormir. Boa noite, anjo.
- Boa noite. - Seco, grosso, de novo. Desisto.
- Justin, desisto de você. Seu grosso. - Sai dali e não aguentei, ele estava estranho comigo, ele nunca foi grosso ou seco comigo. 
Deixei algumas lágrimas cair, e fiquei a noite em claro, apenas pensando o porque o Justin estava daquele jeito.

Continua...

2 comentários: